sábado, 20 de junho de 2015

DA INCRÍVEL EXPERIÊNCIA DE NÃO SER TRATADO COMO CLIENTE NA APPLE

Nenhum comentário:
Link direto para esta postagem
Imagem da logomarca da Apple em branco e fundo preto associada ao slogan Think Different (tradução: Pense Diferente)

Todas as demais empresas precisam aprender com a Apple Company​ como é que se deve tratar os clientes (ops!) quero dizer: as pessoas que são consumidoras de seus produtos e serviços.

Estou tão encantado com a atendimento que recebi do funcionário da Apple que vou compartilhar com vocês! Atenção Oi, SKY Brasil​ e Caixa Econômica Federal, aprendam:

------------------------------------------------
17/jun/15

"Olá Marco!

Eu sou o Marcos, li que não foi possível baixar o filme Boyhood.

Imagino que queria te-lo asistido logo, principalmente por se tratar de uma história muito interessante. Pelo menos eu gostaria de vê-lo o quanto antes, se estivesse em sua situação.

Pode ficar tranquilo, já vou te explicar como corrigir esta situação.

Primeiramente gostaria de te pedir desculpas pelo tempo de resposta devido a recente demanda. Pode deixar que estou tratando seu caso com a prioridade que ele merece!

Ao analisar sua conta, vi que o filme foi alugado em um iPad. Como o tamanho de um arquivo de um filme gira entre 1 a 5GB, se for baixa-lo diretamente nele, recomendamos utilizar uma conexão Wi-Fi rápida para não perder a transferência.

Esta é uma das principais causas para aparecer uma mensagem de erro ao efetuar o download, ou ele não baixar por completo.

Outra hipótese seria o espaço físico do aparelho estar ocupado ao efetuar o download do arquivo do filme.

Mas pode ficar tranquilo. Reembolsei a aquisição. No prazo de aproximadamente 5 à 10 dias úteis, USD 4.99 será informado a Operadora do Cartão para processamento.

Após esse período, é só contata-los para confirmar quando o valor ficará disponível.

Dessa forma você terá as seguintes resoluções:

- Baixar o conteúdo novamente em seu dispositivo iOS;

- Baixar o conteúdo em um desktop com o iTunes, para depois transferi-lo para seu dispositivo iOS, seguindo o artigo abaixo, se houver necessidade:

iOS: como sincronizar seus dados com o iTunes
http://support.apple.com/kb/HT1386?viewlocale=pt_BR

Espero ter ajudado. Peço somente que confirme o recebimento deste e-mail.

Se ficou alguma dúvida, estou à disposição, é só responde-lo.

Abraços e Boa Semana!

Marcos Júnior
Suporte ao cliente da iTunes Store"
------------------------------------------------

MINHA RESPOSTA em 18/jun

Olá Marcos,

Quase caí de costas quando recebi sua resposta. Estou sendo tão maltratado, como cliente, pela Sky, Oi e Caixa, nestas últimas semanas que uma resposta tão humanizada quanto a tua me fez até bem.

Muito obrigado pela maneira decente e digna que me respondeste, não sei se é um algoritmo que faz isso, mas se for é um robô mais humano que muitos humanos que conheço. Parabéns ao idealizador dessa proposta comunicativa, estou tão encantado que levarei como exemplo nas minhas aulas de comunicação.

Confesso que não gostei da experiência de comprar o filme pelo iPad, principalmente por não poder transferi-lo para o desktop e assim poder transmitir na minha TV. Mas essa atenção toda com o problema me encantou, vou repensar a ideia de não comprar novos filmes, em função da segurança e respeito que me passou. Mais uma vez, obrigado e parabéns!

------------------------------------------------

RESPOSTA da APPLE em 19/jun

"Oi Marco!

Muito obrigado pelo retorno! Na verdade eu que quase caí de costas com seu feedback! Muito obrigado mesmo!

Pode ficar tranquilo. Até onde sei, para minha sorte, não inventaram nenhum algoritmo que substitua a interação entre duas pessoas de carne e osso.

Dá totalmente para entender o que aconteceu contigo, pois com frequência somos tratados com indiferença, principalmente em atendimento ao cliente.

Sim, isto acontece conosco também (afinal também somos clientes), por isto é nosso compromisso te tratar não como o Marco, cliente Apple.

Mas como o Marco, que passou por uma situação que por exemplo, eu não gostaria de passar no meu final de semana.

Ah, tenho uma dica boa para te passar: se você pretende visualizar o filme para a TV, é recomendável o aluguel diretamente no desktop, com o iTunes instalado. Simples assim.

Desta forma, é possível a transferência para o iPad (claro, se achar conveniente), ou a própria visualização para uma TV através do computador.

O caminho inverso não é previsto, pois o tipo de arquivo que é baixado no iPad é diferente do que é baixado no desktop.

Mais uma vez, eu que agradeço pela confiança, e sobretudo por aguardar quase cinco dias por nossa resposta (eu sei, no quesito “prazo” ficamos devendo, mas já estamos trabalhando nisto, pode ter certeza).

Precisando de ajuda, é só falar conosco!

Abraços e bom final de semana!

Marcos Júnior
Suporte ao cliente da iTunes Store"

--------------------------------------------------

É assim que eu quero ser atendido e respeitado pelas empresas prestadoras de serviço ou vendedoras de produtos. Obrigado à APPLE por me respeitar como pessoa com dignidade.

#Apple #ThinkDifferent #PROCON #Consumidor #CDC

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Como exportar sua Biblioteca de Fontes Bibliográficas do Word para o Zotero

Nenhum comentário:
Link direto para esta postagem
Logo do Zotero


EUREKA! \o/

Quer saber como exportar a sua biblioteca de Referências Bibliográficas do Word (em XML) para ser aproveitada pelo Zotero sem perda de dados? Vamos lá:

Tive um problema com o computador (maldito VAIO!!!) há alguns meses e perdi toda a minha biblioteca de referências bibliográficas construída durante todo o doutorado e ~chorei muito~ ...

Agora, finalizando a tese não tive escolha, precisava atualizar todo o banco de dados e não havia jeito de importar as informações de um arquivo ".docx" para o Zotero, programa que passei a usar por ter o banco de dados online, para não correr mais o mesmo risco.

Faz três dias que estou inconformado com essa suposta impossibilidade de exportar do Word para o Zotero. Cansei de googlar informações e vasculhar fóruns e sites especializados no assunto, todos eram enfáticos em afirmar que não era possível.

Então passei os últimos dois dias transferindo ~infinitamente~ e manualmente cada dado da referência e reconstruindo o banco de dados todo. Até que hoje acordei e logo tive um insigth, pensei em algo que ainda não tinha tentado fazer e ... EUREKA! Encontrei uma maneira de recuperar meus dados e ainda por cima importa-los no Zotero.

O truque:

1) Abra um documento do Word que tenha a Bibliografia gerada automaticamente pelo próprio Word, algum DOC que você tenha gerado antes de perder sua biblioteca.

2) Clique em "Gerenciar Fontes Bibliográficas" e na janela que se abrirá copie sua "Lista Atual" para a sua "Lista Mestra" que deve estar vazia.

3) Depois vá ao site do EndNote faça um cadastro, baixe e instale o: "Plug-in™ do Cite While You Write".

4) Abra novamente o Word, no final da "Barra de Ferramentas" deve ter sido instalado mais uma "aba" chamada "EndNote", clique nela, faça seu Login com os mesmos dados que usou para fazer o cadastro no site (atenção: pode ser que não peça pra vc fazer isso neste momento ou lhe solicite depois).

5) Clique em "Export to EndNote" e escolha "Export Word Master List" (faça Login se for o caso).

6) Volte ao site do EndNote e procure a aba "Formato" > "Exportar Referências" > "Todas as referências da minha biblioteca". Em "Estilos de exportação" escolha: "EndNote Export"> "Salvar".

7) Abra o Zotero, clique no menu "Arquivo" > "Importar" e escolha o arquivo que acabou de salvar e... Pimba!!! #SimplesAssim

8) Sua Biblioteca estará lá no Zotero, seu trabalho agora, será no máximo comparar itens duplicados, mas isso é moleza...

Espero ter ajudado a mais pessoas com esse simples tutorial. Fiz questão de compartilhar essa descoberta para que outras pessoas não passassem o mesmo apuro que eu. Façam bom proveito! Abraços!

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

DO BODE EXPIATÓRIO DO "RACISMO"

Nenhum comentário:
Link direto para esta postagem
Imagem com dois dedos indicadores se tocando, um de uma pessoa branca e outro de uma pessoa negra, cada qual com um fundo em contraste em branco ou preto, simbolizando o problema cultural do racismo no Brasil.
Patrícia Moreira, acusada de "racismo" (na verdade é injúria racial) contra o goleiro Aranha do Santos, acaba de dar um depoimento à imprensa e chorou. Um choro falso, induzido por uma "assessoria de gestão de crise" e pelo advogado que ela contratou. Ficou pior do que se não a tivessem exposto mais ainda do que a mídia já está fazendo e com certas doses de sadismo e crueldade.

O fato é que essa guria virou o "bode expiatório" de um problema que ela sozinha não representa. A mídia, de novo em histeria, está expondo exageradamente a imagem de uma única pessoa, imputando a esta todo o problema como se fosse uma "a bruxa" a ser condenada à fogueira para que o "mal", enfim, seja exorcizado.

Metade do Rio Grande do Sul já deve ter cantado o mesmo hino com as injúrias raciais que a torcida canta, isso sem achar que cometia algum crime, assim como ela. Isto não significa que as injúrias no cântico estejam com a razão, mas também não significa que todo o problema do racismo se resolverá assim, através de um bode expiatório. A coisa toda foi muito boa para problematizar o racismo/injúrias raciais que ocorrem de forma velada no cotidiano da nossa cultura, mas...

O Grêmio foi punido por um erro de uma pequena parte de sua torcida, ok! Mas pera lá... As demais torcidas também não comentem injúrias criminosas de todos os tipos, principalmente as homofóbicas? O que vai ser feito com relação a isso? Ou agora todos os problemas vão se solucionar com a condenação dessa guria?

Enfim, pra deixar claro, a guria cometeu um erro grave, inconsciente no sentido de ser ignorante e ignorante no sentido de ser acrítico, mas o linchamento público midiático precisa parar. Sim, este caso tem o mérito de tirar o tema da "espiral do silêncio", mas peca ao estigmatizar uma única pessoa desse jeito. Afinal, os comentários sobre o caso contidos nas redes sociais, contém injúrias e ameaças à dignidade humana tão ou mais graves, nada é feito... isso só nos ajuda a entender que boa parte da sociedade é muito hipócrita, acrítica e inconsciente, assim como a Patrícia naquele fatídico e infeliz episódio.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

DO INDIGNADICÍDIO

Nenhum comentário:
Link direto para esta postagem
Placa de trânsito com os dizeres: Indignado à bordo
Atenção: vocês estão cometendo um covarde indignadicídio!

Pesquisar e estudar sobre cidadania e direitos humanos neste meu doutoramento tem transformado as minhas mais profundas instâncias. O ser indignado que me habita tem se manifestado e incomodado muita gente. Mas isto é efeito e não causa, eu sinto a força da máquina que comete esse indignadicídio geral e procuro me manter em pé...

Há muito tempo sabemos que exercer a cidadania exige uma capacidade super-heroica para engolir sapos cada vez mais robustos e fáceis de entalar. Por um outro lado, um mais hipócrita, hoje em dia está muito fácil criticar os governos, mas também perpetuar as suas mesmas lógicas enfadonhas quando se tem acesso a qualquer tipo de poder. Não importa se é um poder de Síndico de Prédio, de Diretor de Escola ou o de Presidente da República, se a mentalidade for reacionária a pessoa replicará as mesmas perversidades lógicas e típicas dos absolutistas monárquicos.

Hoje de madrugada, enquanto eu estudava, trombei com este texto (abaixo) que me fez refletir ainda mais sobre o universo que habito e cheguei à conclusão de que o meu exercício de enxergar o mundo por vários prismas desagrada a muita gente. As pessoas não assumem, mas de fato nos querem domadas e marchando sob a mesma loucura compartilhada e definitivamente isso não serve pra mim!

Juro que estive pensando seriamente em desistir de carregar esse peso todo e buscar uma vida mais segura, inútil e débil, mas este texto me deu ânimo para seguir na luta por JUSTIÇA para além da retórica estética das atas, dos capítulos, das falas mansas, dos moralismos tradicionais, familiares e patrimoniais.

Obrigado Alexandre Sá, você salvou um indignado hoje, qualquer semelhança é mera coincidência:
"O cidadão aparece assim, ainda no decurso do período político absolutista, através da emergência de um público crítico e comunicativo. Este surge através da expansão de uma progressiva esfera de discussão, confrontação e debate, onde se esboçam e desenvolvem o raciocínio e o argumento.

O fim do absolutismo monárquico do século XVIII e a emergência do parlamentarismo alimentam-se justamente desta expansão, do alargamento do público e da crítica e, consequentemente, da convicção de que a moral pode influenciar a política, ou seja, de que as diferenças de pontos de vista, assim como a sua discussão, não apenas podem, mas devem influenciar eficazmente decisões governamentais que, como tal, devem ser tomadas publicamente, à vista de todos, sem recorrer ao segredo exigido pelo critério exclusivamente político da razão de Estado.

A partir da expansão de um público crítico e esclarecido, as instituições políticas fundamentais podem e devem ser a expressão da comunicação, da discussão e do debate, do argumento e do raciocínio, que ao próprio público são intrínsecos. É neste sentido que Guizot pode justificar a instituição parlamentar do seguinte modo: 'A característica do sistema que não admite, em lado nenhum, a legitimidade do poder absoluto é a de obrigar todos os cidadãos a procurarem sem cessar, e em cada ocasião, a verdade, a razão, a justiça, que devem regular o poder de facto.' " (SÁ, Alexandre. Media, mass media, novos media e a crise da cidadania in Informação e Comunicação Online (vol III) - Mundo online da vida e da cidadania, p.9, 2003.)

sábado, 5 de julho de 2014

HOMENAGEM A NOSSA FRATERNIDADE

Nenhum comentário:
Link direto para esta postagem
Fábio Corniani segurando uma lata de cerveja e fazendo careta e Marco Bonito segurando um pirulito
Lá na quadra do Pai da Tati em Guará
Fábio Corniani, velho, a esta altura vc deve estar entre São Borja e Santa Maria, caminho que conhecemos tão bem, sem sinal de telefonia e muito menos internet. Quando estiver chegando em Santa Maria pode ser que recebam esta minha mensagem de lamento que começa assim: Porra! Você vai fazer falta por aqui, caralho!

Sei que o texto ficou muito grande, mas vou colocar umas imagens pra te divertir (hahaha) e a Vívian Corneti é quem deve estar lendo pra vc enquanto vc dirige, então não reclame! Hahaha... Tome isto como uma homenagem à nossa amizade fraterna!

Eu já sabia há muito tempo que esse dia ia chegar, desde que chegamos aqui em São Borja, há praticamente 4 anos e meio vc me diz que ia planejar um caminho que te levasse a outro destino. Eu não curtia essa ideia, afinal, essa história de voltarmos a conviver na mesma cidade, sermos vizinhos novamente e a trabalhar no mesmo local era de novo uma chance tão remota quanto rara.

Muita gente não sabe que nossa amizade, convívio e aventuras surreais  começaram há muito tempo, há mais de 10 anos (2003 ou 04?), isso ainda lá em São José dos Campos/SP, onde morávamos e trabalhávamos dando aula na mesma faculdade a Fatea Lorena. Mas em 2007 eu fui trabalhar em Porto Velho/RO e a internet é que nos manteve "por perto" e só em 2010 voltamos a conviver, desta vez aqui no Rio Grande do Sul, na fronteira com a Argentina...

Eu me lembro de quando nos conhecemos: você procurando carona para ir até Lorena dar aula na FATEA (120 Km de distância de SJCampos) e eu procurando alguém pra "rachar" a gasolina e o pedágio daquelas inúmeras viagens que fazíamos. Alguém lhe disse que havia um professor que vinha de carro de SJCampos e combinamos de enfrentarmos juntos os 240 Km diários na Dutra, entre SJC e Lorena.

No primeiro dia vc foi de ônibus até a avenida perto de onde eu morava e fomos rumo a Lorena. Em dois minutos dentro do carro, após as apresentações básicas o que realmente serviu de elemento de sociabilidade foi o Rock and Roll que estava rolando no som do meu carro. Não lembro exatamente a música que estava tocando, mas recordo que era Whitesnake/David Coverdale (é a trilha sonora que estou ouvindo agora pra escrever) e você disse: "adoro David Coverdale! Canta muito! Eu tenho uma banda, sou vocalista! e blá blá blá... " e assim passamos a viagem toda falando de Rock!
Marco, Renato e Fábio se divertindo à base de vinho no show dos Velhas Virgens
Show dos Velhas Virgens em Taubaté

Dias depois, coincidentemente uma amiga em comum a Lucimara Rett (o maior vetor social do mundo), que também dava aula na FATEA, me convida para irmos comemorar o aniversário dela num bar em São Caetano, onde a banda de um amigo ia tocar. A banda era a Ezageraldo's Rocks, a tua banda!

De lá pra cá adotei vc como o irmão que eu não tive e hoje quando saí pra me despedir de vc às 6h30 tive a certeza de que ficamos irmãos demais nesse tempo todo, irmãos como todos os irmãos, com todos os prós e todos os contras de uma fraternidade desse tipo e tenho certeza de que foi essa característica que nos reuniu. Afinal, sabemos que quem gosta de mim ou de você é porque gosta mesmo, não somos de ter "amigos(as) que nos gostam mais ou menos"... não é verdade?

E quantas foram as aventuras surreais que vivemos juntos desde então? Porra, em algumas das minhas melhores histórias, daquelas que vamos contar pros filhos e netos você esteve junto! Já fizemos tanta merda e tanta coisa legal pra caralho juntos que eu precisaria de duas vidas pra escrever sobre tudo.

Vc me apresentou pra tua galera, um bando de gente legal pra caralho que se tornaram meus amigos e que também fizeram parte de cenas e cenários dessas surrealidades bacanas que fariam Woodstock parecer um encontro de senhoras católicas. Tô mentindo Rafael Stanguini, Vanderlei Cano, Leandro de Souza, Adriano Damas, Pedro Paulo Costa Martins, Eugênio Voltarelli Neto, Lucimara Rett, Tati Carvalho, Flora Mancini, José Ricardo Rio, Alexandre Grolla Pereira, Daniel Genro, Daniel Lima, Daniela Monteiro, Denise Vieira, Edson Di Carvalho, Fernanda Gallo, Henrique Avari, João Balogh Junior, Marushio Desu, Neia Carvalho, Paulo Roberto Grangeiro Rodrigues, Renato Silva Das Neves, Zeinab Rkain, Orlando Berti ???

Como esquecer daquele teu aniversário no sítio em SJC (uma das melhores festas que eu já participei e sobrevivi!). Os shows da Ezageraldos em Sanca/SJC/SP que montávamos "caravanas" para nos divertir e ver vcs tocarem? Os esquentas no Bar do Pavão? As rodas de violão em nossas festas? As nossas viagens? Os intercoms? Nossas bebedeiras (mais suas do que minhas... hahaha) em casa? A festa do meu ex-casamento (abafa! hahhahaha...). Nosso encontro em Barcelona?

Teve também nossos projetos profissionais juntos (pra que não pensem que nossa vida é só esbórnia... hahaha): capítulo de livro escrito juntos (com direito a uma foto sua bem bizarra!), pesquisas sobre Folkcomunicação, vc dormindo na minha defesa de mestrado,  apresentações em congressos, convites mútuos para palestrar nas instituições onde trabalhávamos, aulas na pós-graduação, coisas que culminaram na tua indicação para que eu viesse concorrer ao concurso aqui na Universidade Federal do Pampa - Unipampa onde vc estava recém aprovado.

Eu também te apresentei à minha galera e aumentamos a nossa rica rede social com gente desta estirpe: Daniel Lima. Vagner Lucena, Joao Marcos Oliveira, Lilian Perez, Mauricio Araujo, Tati Carvalho, Agnes Arruda, Jamer G. Mello e Gabriela Almeida . Isso sem falar nos amigos professores que colecionamos por onde passamos: Fafate Costa, Liu Feliciano, Lucimara Rett, Cesar Baio...

O Daniel Lima foi sem dúvida um encontro do âmbito do surreal, meu amigo de infância, que se tornara músico e tinha uma banda e vc vocalista de outra... Vc foi tocar na banda dele e até hoje mantém uma amizade que perdura e que eu acho muito massa!

Aqui em São Borja a gente construiu um círculo de amizades muito incrível! Desde os primeiros bandeirantes da fronteira Domingos Sávio (comedor de ovos de codorna do chão... hahaha) ao cara que transformou nossa fraternidade de "dupla" pra "trio" (um South Park sem o Kenny): Gabriel Sausen Feil. Sem esquecer o mito Cesar Beras e a turma toda da Unipampa que faz com que São Borja valha a pena: Helena Basso Feil, Jorge Alexandre da Silva, Jaina Pedersen, Fernando Santor, Jocenir De Oliveira Silva, Sara Feitosa.

Bom, há dois capítulos especiais nessa nossa história toda: a Vivi no teu caso e a Marina Zoppas de Albuquerque no meu. A Vivi, à princípio, era uma ex-aluna tua que era prima do KBÇA Oswaldo Corneti (vai vendo a genética... hahaha) e uns anos mais tarde seria a mulher que iria fazer a maior revolução no teu espírito e no teu coração (sim, vc tinha um coração aí dentro!), o que convenhamos não era tarefa fácil... hahaha...  Sim, vc casou com ela e eu fui teu padrinho pra acreditar de verdade! Hahahaha...

A Vivi eu só fui conhecer muito tempo depois de vcs já estarem namorando, durante um congresso em Natal e tínhamos em comum o gosto pelo futebol e o fato de termos estudado na mesma universidade, com vários mesmos professores em épocas diferentes. Eu logo achei que vcs realmente combinavam e que vc viraria um homem sério... (mentira! Nunca achei que seria possível! hahaha)

Já a Marina, que à princípio era uma desconhecida minha amiga da Unisinos, faria o mesmo comigo, uma verdadeira revolução no meu coração e no meu espírito. Mas o mais importante é que elas duas não perceberam o quanto um é má influência pro outro (hahahaha...) e nos mantiveram em fraternidade, até porque a sabedoria delas indicava que a suposta "má influência" era mesmo uma amizade rara, coisa de irmãos que no fundo se gostam pra caralho!

Eu já comprei briga sua aqui na Unipampa pq ninguém fala mal de amigo meu injustamente na minha frente, me indispus com muita gente a título de ser honesto com a profundidade da nossa amizade, imagino que tenhas feito o mesmo outras vezes por mim. Sou muito grato pelas inúmeras vezes que me ajudou, mas principalmente pelos momentos em que eu estava em apuros ou fazendo merda e que vc me apoiava e estendia a mão ou me criticava. São estas coisas que as pessoas não enxergam, mas que eu e vc sabemos que existem, que constituem a nossa amizade e que eu gostaria que as pessoas soubessem através desta postagem.
Marco e Fábio posando na frente da locomotiva MAD MARIA em Porto Velho
Lá em Porto Velho

O fato meu Velho é que vc vai FAZER FALTA PRA CARALHO por aqui, no dia a dia, naquelas horas em que eu vou precisar de um dos meus 3 únicos SUPER AMIGOS, dos quais vc ocupa um lugar de destaque. Eu disse ao Gabriel, logo que cheguei aqui em São Borja, que minha principal tarefa era demovê-lo dessa ideia de sair tão cedo daqui. Eu falhei, fiquei triste a ponto de não querer nem falar nesse assunto com vcs.... Mas, agora, resignado, procuro ficar contente pelo teu sucesso, pelas tuas novas conquistas e por estares feliz de ir para um lugar mais próximo do que procuras e desejas. Vai ser melhor pra vc e isso me consola!

Velho, essa história não acaba aqui, fechamos apenas mais um capítulo, desejo que os próximos sejam tão fodásticos como os anteriores. Dirija com cuidado até Ilhéus/BA, vê se não corre FDP, seja feliz e tenha muitas conquistas em dobro nessa nova fase, vai dar tudo certo! Se precisar é só gritar que eu te ouço! (sim, eu chorei escrevendo essa porra toda e  espero que tenhas lido ou escutado até o final!) Mande notícias!  #TamoJunto #StandByMe #FriendsWillBeFriends